Análise | Batman: Universo

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Batman: Universo é uma minissérie escrita por Brian Michael Bendis (Demolidor, Naomi) e desenhado por Nick Derington (Patrulha do Destino), publicada originalmente pela DC Comics, e lançada no Brasil pela Panini. A versão brasileira recebe acabamento de luxo, em capa dura, contando com as seis edições de Batman Universe em 176 páginas. 

Um Pouco de Contexto

Antes de falar sobre a HQ, vale uma contextualização do autor, e da então fase do Batman. Bendis, no final de 2017 fechou um contrato exclusivo com a DC, em torno disso surgiram várias especulações e rumores sobre que revista o escritor iria encabeçar. Muito se falava de um herói com uma temática um pouco mais urbana, como o próprio Batman por exemplo, ou até mesmo o Arqueiro Verde, tendo em vista o ponto forte de Bendis. Entretanto, caiu em suas mãos o que ninguém esperava: o Superman. A fase foi bem polêmica e vários fãs torceram o nariz. 

Mais tarde, em 2019, começou a ser publicado Batman: Universo nos EUA, mas cá estamos com essa histórias em mãos, e bem, está bem longe de uma HQ urbana e sombria. Fato é que, se você espera um material parecido com o que Bendis fez com o Demolidor na Marvel, pode tirar o cavalinho da chuva, não é aqui que você vai encontrar. Mas, não vá pensando que isso seja necessariamente algo ruim, não é disso que se trata, pelo contrário. 

batman universo
DC Comics/Batman: Universo/Divulgação

O Batman já há muito tempo remete à uma temática sombria, desde pouco antes de Batman: O Cavaleiro Das Trevas do Miller. Bendis chega com uma proposta não inédita, e sim nostálgica, de um Batman um pouco mais leve, remetendo à série The Brave And The Bold, que ele faz funcionar com grande brilhantismo. Mas vamos entender isso direito!

Roteiro

Logo nas primeiras páginas a HQ já tem a grande capacidade de fisgar a atenção do leitor, tanto pelos diálogos do Batman com o Alfred, quanto pelos desenhos de Derington. Na história o Charada rouba do museu de Gotham um antigo e valioso artefato chamado Ovo de Fabergé. Como já seria de se esperar, existe algo de errado com o artefato, que apresenta um comportamento estranho, que o Batman suspeita ser de origem alienígena. 

A HQ, como já dito, resgata um clima leve, por vezes até engraçado. Isso não diminui a seriedade da história, não é um material que não se leva a sério, mas que tem como principal objetivo divertir. E ela faz isso, com muita eficiência. 

O Batman se encontra com personagens como o Arqueiro Verde, o Asa Noturna, o Exterminador, o Lanterna Verde, e até com o Jonah Hex. Sendo que em todos esses encontros, sem exceção, a química com os personagens é muito boa, e demonstra toda a habilidade de Bendis de criar diálogos espontâneos e extremamente cômicos; com destaque para as conversas com o Alfred também. 

batman universo
DC Comics/Batman: Universo/Divulgação

O que no princípio parece ser uma história contida vai tomando cada vez uma escala maior e maior, com mais gente envolvida e menos pautada na realidade. O Batman visita Thanagar, a Ilha Dinossauro e por aí vai. De maneira discreta Bruce solta uma piadinha aqui e outra ali, e fala um pouco mais do que estamos acostumados. Entretanto o bom e velho detetive focado está lá, e em alto nível. 

Tá Diferente, Mas Tá Legal

De fato essa mudança de comportamento do Batman pode ser estranho para alguns fãs. Saindo da fase do Batman escrita pelo Tom King e embarcando nessa minissérie, a diferença no peso da história é gritante. Isso não é uma questão da história ser boa ou ruim, e sim de ser uma proposta agradável ou não. De certo modo é uma proposta que poderia dar bem errado tendo em vista o que o Batman é hoje e o desagrado por parte da fase de Bendis no Superman. Felizmente, Batman: Universo é surpreendentemente bom. 

Ele têm seus momentos falhos, que tentam emocionar e acabam não funcionando, e por vezes uns detalhes ficam soltos e o leitor precisa ligar uns pontos meio desnecessários. Mas, repetindo, no que ele se propõem fazer, executa de maneira brilhante.

Além disso ela é uma HQ criativa, com boas resoluções, e inteligente. Ela consegue juntar personagens que “jamais” seriam imaginados juntos numa determina situação, e contar uma sequência de acontecimentos e diálogos muito legais, e que podem tirar até mesmo umas risadas. 

Arte

Os desenhos de Nick Derington estão fabulosos. A ilustração é muito flexível em ser séria quando precisa, e mais despretensiosa nos momentos mais leves. 

Batman Universo
DC Comics/Batman: Universo/Divulgação

Um outro ponto forte são os ângulos, um pouco mais cinematográficos, que passam bastante dinâmica e fluidez para a leitura.

Considerações Finais

Batman: Universo chega com uma proposta mais nostálgica e leve, que é brilhantemente desenvolvida por Bendis, e toma vida através do traço de Derington. Um material de leitura rápida, mas muito prazerosa e satisfatória, que poderá ser lembrada com muito carinho pelos fãs.  

Por Geraldo Campos
batman universo
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deixe um Comentário

Veja também

Fechar Menu