Análise | Homem-Aranha: De Volta Ao Lar

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Escrito por J. Michael Straczynski, e desenhado pelo renomado John Romita Jr, Homem-Aranha: De Volta Ao Lar foi originalmente publicada em 2001, e agora recebe tratamento de luxo pela Panini em capa dura com 208 páginas, da nova coleção focada no Cabeça de Teia chamada “Marvel Saga”.  

Roteiro

Logo no prefácio nos é apresentados as circunstâncias as quais a HQ fora publicado no passado, explicado como o Homem-Aranha precisava de uma revitalização e voltar a ter seu espaço na Marvel. Missão essa acredita e dada para Straczynski. No geral o acabamento do material segue aquele padrão ‘Panini’, mas conta com um erro de digitação um tanto grosseiro. Mas ‘ok’, relevemos. 

Peter Parker está deslocado, seu relacionamento com Mary Jane foi interrompido, e o peso de ser um homem adulto cai sobre seus ombros. Somados a isso está uma reaproximação com sua tia May. Até que numa noite de patrulha, um homem misterioso com as mesmas habilidades aracnídeas de Parker aparece, e levanta uma grande questão sobre a origem dos poderes de herói, e o alerta sobre uma grande ameaça.

Marvel Comics/Homem-Aranha: De Volta Ao Lar/Divulgação

Junto a isso é trabalhado um lado muito humano de Peter, que ao revisitar seu antigo colégio e se deparar com situação precária do local, decide agir de alguma maneira. 

Primeiro, o vilão é bom, e convida o leitor a viver momentos frenéticos de luta, que duram praticamente duas edições inteiras. E em segundo lugar, esse lado humano trabalhado no herói entrega uma carga dramática muito forte para HQ, mas que ao mesmo tempo mantém um certo grau de otimismo, justamente por estamos falando do Aranha, o que é muito legal.

Com grandes poderes vem… 

Um dos pontos mais fortes da HQ, é o como é desenvolvido e a forma como Parker revive seu passado. Toda ação e embates envolta do Homem Aranha são interessantes, mas as atitudes de Peter para combater problemas sociais como um cidadão comum é muito mais cativante, e reflete muito mais o caráter de herói. 

Na verdade a HQ pontua alguns aspectos sociais bem importantes e que são inseridas até de maneira um pouco forçada, mas que mesmo assim são válidas e condizem com a história.

Junto a isso está uma a reaproximação da Tia May na vida de Parker, que gera um momento muito emocionante entre ambos. A força de May, transparece e explica muito as forças de Peter.

Marvel Comics/Homem-Aranha: De Volta Ao Lar/Divulgação

Já estamos acostumados com os comentários do Aranha enquanto ele luta e tudo mais. Aqui eles não são muito frequentes, e quando aparecem são bem sem graça. A impressão que passa é que Straczynski não estava muito a vontade em escrever essas piadinhas já conhecidas pelo público. Entretanto, isso é um detalhe, e não agride a essência do material.

Arte 

John Romita Jr. faz um trabalho bom. Na verdade seu trabalho divide fãs, mas ele tem títulos em que se sai melhor como ‘All-Star Batman’ e Kick Ass. Contudo, nos momentos de ação ou violência gráfica é inegável a facilidade com que ele tem de transmitir velocidade e movimento, características essenciais do Aranha.  

Marvel Comics/Homem-Aranha: De Volta Ao Lar/Divulgação

Romita entre uma boa arte, que possuem sim suas características que desagradam alguns e agradam outros, mas ainda assim, uma boa arte. 

Considerações Finais

Homem-Aranha: De Volta Ao Lar é uma HQ que vai te fazer lembrar por que o Aranha é um dos maiores heróis da Marvel. Cheio de ação e com um peso dramático forte e funcional, mas que agregada com a dose do bom e velho otimismo, se faz extremamente forte em sua mensagem. Um prato cheio para os fãs de quadrinhos de super-heróis.

 

Por Geraldo Campos
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deixe um Comentário

Veja também

Fechar Menu