Análise | Homem de Ferro (2008)

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Lançado no ano de 2008, ‘Iron Man’ foi o filme dirigido Jon Favreau e responsável por inaugurar o MCU. Até os dias de hoje, a obra é considerada por muitos como uma das melhores do estúdio, mas será que ela ainda é boa quanto recordamos? Com base nos quadrinhos da Marvel, o longa-metragem possui muitos méritos. Dentre eles, está evidente a qualidade de ser o mais belo início possível para o MCU. 

Sinopse: Após ser capturado por terroristas afegãos, o engenheiro bilionário Tony Stark cria uma armadura militar para combater o mal.

 

Trabalho de Roteiro

‘Homem de Ferro’ possui um protagonista bem escrito, que recebe uma apresentação divertida e interessante. Isso se deve evidentemente à excepcional interpretação de Robert Downey Jr. Contudo, é graças à sua personalidade coesa e coerente que o personagem se mantém tão firmemente interessante até o final do filme.

Além disso, a obra possui uma forma impressionante de engajar o público em seu enredo, pois sempre há algo novo para ver. Desde o primeiro ato, quando a audiência toma noção da excentricidade e arrogância de Tony Stark até o meio do conflito do filme, sua narrativa escala sem limites. Todavia, ao atingir seu clímax, torna-se perceptível a perda de mão dos roteiristas, que ultrapassam os limites toleráveis para contar uma história em que se possa acreditar.

Por outro lado, os mesmos escritores responsáveis por esta falha entregam um dos super-heróis mais confiáveis escritos até então. Isso significa que, diferente de muitos dos personagens super-poderosos conhecidos, Tony Stark não é capaz de tudo, ou ao menos não com facilidade. Sim, o Homem de Ferro voa, mas o caminho em busca dessa conquista não é fácil. Da mesma forma, o personagem é páreo para seu vilão, mas também não é simples derrotá-lo. Esse cuidado durante a escrita é responsável por adicionar à Stark realismo e humanidade, elementos cruciais para que o público simpatize por esse homem de personalidade forte.

De maneira inversa, porém, está a criação do vilão do filme. Isto é, Obadiah Stane (Jeff Bridges), que não pode ser classificado como um personagem profundo e realista. Infelizmente, o antagonista não possui uma motivação clara, da mesma maneira que também não revela nada de novo sobre o protagonista da história e nem se desenvolve significativamente durante o decorrer da trama. Assim sendo, Obadiah é uma das maiores falhas da película.

homem de ferro (2008)
Marvel Studios/Homem de Ferro/Divulgação

 

 

Atributos Técnicos

Mesmo com os problemas referentes ao final do longa, existe um fator crucial em cena capaz de torná-lo melhor do que os parágrafos anteriores fizeram-no parecer ser. Este fator é o CGI, tão refinado que quando comparado a outras obras do mesmo ano, chega a surpreender. Cada peça da armadura, cada explosão e cada voo é lindo de se ver.

Outro ponto a ser observado é a fotografia do longa, que apesar de demonstrar algumas decisões negativas da direção ainda atinge um padrão de qualidade elevado na maior parte da obra. De fato, existem cenas de combate trêmulas e escuras, mas elas são facilmente compensadas por outros embates em que se pode sentir o impacto de cada golpe.

Também é um atrativo da obra o trabalho de cabelo e maquiagem. Por muitas vezes, este elogio é utilizado com o propósito de dizer que um filme possui penteados impressionantes ou condizentes com uma época específica. Mas no caso desta produção, isso se deve não apenas ao seu realismo, percebido principalmente nas cenas em que Tony Stark tem sua vida posta em perigo, mas também à sua habilidade em criar um personagem icônico, facilmente reconhecível apenas pela forma de seu cavanhaque.

Homem de Ferro (2008)
Marvel Studios/Homem de Ferro/Divulgação

 

 

Considerações finais

O filme de estreia do MCU pode e deve ser classificado como uma obra acima da média, principalmente no mercado mainstream. Como toda obra cinematográfica, ela possui algumas falhas chamativas, mas isso não tira da produção sua grandeza. Graças às atuações de excelência, impressionante computação gráfica e roteiro digno de nota, ‘Homem de Ferro’ representou um ponto de partida marcante para o Universo Marvel nos cinemas, e portanto é digno de ser revisitado.

 

Por Sergio Sbeghen

Homem de Ferro (2008)
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deixe um Comentário

Veja também

miles morales homem aranha

Análise | Miles Morales: Homem-Aranha

Escrito por Brian Michael Bendis, e desenhada majoritariamente por Sara Pichelli, Miles Morales: Homem-Aranha é um quadrinho publicado originalmente pela Marvel no universo Ultimate. Essa

Leia mais >
Fechar Menu