Review | Destiny 2 Beyond Light: Fica frio aí

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Eu estava esperando um tempo desde o lançamento para fazer essa análise, principalmente a Incursão que foi lançada duas semanas depois. Beyond Light marca o início de uma nova trilogia de histórias para Destiny, ou como queiram chamar, uma era de trevas, onde a escuridão está batendo na porta e não temos escolha alguma a não ser responder o chamado.

A temporada das Aparições durou mais do que o esperado por causa da pandemia, que afetou o desenvolvimento de sua expansão. Será que toda essa espera valeu a pena após uma temporada de grind de conteúdos antigos e sem muitas coisas novas para oferecer à mesa? Hora de vermos como é o “futuro” de Destiny 2, e eu lhes apresento minha humilde análise de Destiny 2 – Além da Luz.

A GRANDE MÁQUINA CONHECERÁ A NOSSA DOR!

Além da Luz começa com o guardião em Europa, a lua gélida, após ser convocado pela escuridão, após 6 anos, finalmente tempo a segunda conversa inteira entre o personagem e seu fantasma, que questionam os motivos da treva. O diálogo logo é interrompido por um chamado de socorro de Variks, sim, o antigo decaído da Casa do Julgamento e que tem parte da culpa na morte de Cayde-6 em FORSAKEN, e ele está em apuros, desviamos de nosso caminho para ajudá-lo e descobrir o que está havendo em Europa.

Descobrimos que Eramis está usando a treva para construir um Império e desafiar a Luz, e cabe a nós detê-la, enquanto nós mesmos vamos usando a treva e descobrindo mais de seus poderes. A narrativa de Além da Luz começa forte, como todas as outras (Shadowkeep não conta!), mas é bem curta, 3 horas para você zerar a história e “derrubar o Império”, temos também algumas coisas que são oportunidades perdidas, como a reação do guardião e seus poderes de treva, que parece NÃO DAR O MÍNIMO DE ATENÇÃO, os outros falam e falam dos perigos da escuridão, mas isso não se reflete nada no gameplay.

Aprendemos mais também sobre a história dos Decaídos, ou Eliksni, que foram abandonados pelo Viajante quando a Treva chegou, poderia ser uma incrível história de reconciliação com o passado, visto que Variks defende seu povo que não está interessado na briga de Eramis (Mas isso é ignorado quando matamos milhões de decaídos pelo loot). Outra oportunidade perdida é de Mithrax, o Kell da Casa da Luz, que NÃO TEM UMA APARIÇÃO, apenas uma situação, esses elementos combinados poderiam dar uma incrível história para os Decaídos, mas da maneira que foi feita, Eramis é apenas a vilã número qualquer para ser derrotada em seguida.

Eris e o Derivante tem participações limitadas, deixando lore-books de lado, sua presença na campanha é a mesma que Juramento do Queima-Céu em uma Raid, ZERO. O pós zeramento foca no legado de Clovis Bray, Exo Estranha e claro, a Cripta da Pedra Profunda, o local de nascimento de todos os Exos, mas chegaremos lá depois, quando eu for falar da Incursão de mesmo nome. Para fechar a parte de história, temos o Nova Luz, uma introdução para jogadores novos no Cosmódromo, ajudamos Shaw Han (Um random) a deter Navota (A Omnigul voltou de novo nome, mesmo assalto com campeões e algumas mudanças), depois é só fazer as playlists e se acostumar com os sistemas, essa introdução é infinitamente melhor do que tinha antes, para veteranos? Um emblema e mais XP, talvez uma arma forte aqui e ali, mas nada demais.

NOSSOS INIMIGOS NÃO TEM CHANCE CONTRA ESSE PODER!

A grande novidade de Além da Luz é a Estase, ou poderes de gelo, da treva, você decide. Sua base é sustentada por dois pilares, congelar e estilhaçar para dar dano, o Titã ganha socos de gelo para criar estacas e depois estilhaça-las, o Caçador duas picaretas para congelar e outra para criar um furacão que segue inimigos, e o Arcano um cajado que congela e estilhaça. São poderes extremamente divertidos de serem usados no PvE, já no PvP, fica complicado o congelamento, agora que sofreram nerfs, está bem mais de boa lutar contra esses supers. Uma coisa bem legal dessa super nova é a customização, que você pode conseguir aspectos, que mudam a gameplay, e fragmentos que podem ser alocados nos aspectos, que concedem status a mais e alguns efeitos especiais. Seria muito legal adicionarem isso para as outras subclasses para dar uma variada no gameplay e não deixá-las com aquela customização tosca.

Falando de exóticas, temos 6 novas, 2 para cada classe, eu falei o que faziam num artigo que escrevi, aqui direi como consegui-las, após terminar a campanha, encontrar os setores e algumas missões, setores perdidos de Europa e do Cosmódromo ficarão abertos para novas dificuldades, 1250 e 1280, que alternam diariamente, e a recompensa diária também mudará, que, sendo feito solo, você tem a chance de ganhar o exótico, por exemplo, no determinado dia são braços, você pode repetir solo para tentar ganhar. Quanto às armas exóticas, são obtidas em quests, apenas a Sniper e a arma da Raid são obtidas por chance, uma nas Caçadas de Império, e outra, claro, na Raid.

A CRIPTA DA PEDRA PROFUNDA

Comentarei como funcionam os encontros? Não. Mas por que então um espaço apenas para a raid? Primeiro, é a atividade endgame que sustenta Destiny, e em segundo lugar, após sua finalização, mais conteúdos são liberados no jogo, como a quest da espada exótica Lamento (É incrível essa arma). Eramis descobriu a Cripta da Pedra Profunda, lugar de criação dos Exos e um dos legados máximos de Clovis Bray, reuniremos um grupo e descemos na Cripta para deter os decaídos de seus planos loucos.

A Incursão não é tão longa quanto uma Último Desejo ou Queda do Rei, são apenas 4 encontros cheios de adrenalina, são extremamente bem pensados e, depois que entendidos, ficam fáceis, mas ainda são extremamente divertidos, não como o primeiro da Coroa do Desalento ou Devorador de Mundos inteiro. Os visuais são absurdos e cada detalhe foi planejado meticulosamente, os dois chefes principais não possuem mecânicas tão difíceis, principalmente o chefe final, mas digo e repito, são extremamente divertidos, creio que alguns dos encontros que mais me diverti. Estávamos eu e meu time no primeiro dia, não passamos do segundo encontro, mas certamente são memórias inesquecíveis, seja pela emoção, ou pelo humor!

ALÉM DAS EXPECTATIVAS

Para fechar, um problema que me deparei com Além da Luz foi a falta do refresh de vendedores e da Loot Pool (Drops de Mundo), a vanguarda, crisol e artimanha ganharam uma armadura idêntica para as três, apenas com cor diferente. Uma arma para cada playlist, as armas de Europa e as da Incursão. Reconhecendo esse problema por causa do Sun Setting de armas e do Content Vault, a Bungie adicionou armas da temporada dos Dignos e das Aparições.

O formato de temporadas e conteúdos temporários não fez muito bem ao jogo para ser sincero, agora eles mudaram de direção, as Caçadas de Furionatos (Que tradução horrível) ficarão pelo próximo ano inteiro, espero que receba atualizações, pois lutar contra 4 chefes por loot seleto é o fim da picada. Ainda tem muito por vir, A Câmara de Cristal voltará em 2021 e sabe-se lá o que mais pode voltar. O futuro de Destiny é promissor, tudo vai depender do jeito que a Bungie tomar suas decisões daqui para frente.

Além da Luz é uma expansão boa, tem uma história decente, uma raid divertida, supers divertidos, e… isso, o resto é o Destiny que todos conhecem, marcos semanais, grind, nada para mudar a fórmula de uma maneira brutal, se você deseja mais Destiny para jogar, é isso que você terá. Essa foi minha humilde análise de Além da Luz, fique frio, guardião.

Por Vitor Fumagalli

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deixe um Comentário

Veja também

Fechar Menu